'Digo alô ao inimigo, encontro um abrigo no peito do meu traidor...'

25 de abr de 2009

"Ou me quer e vem, ou não me quer e não vem. Mas que me diga logo pra que eu possa desocupar o coração."
[...]
"...O tempo não cura tudo, aliás, o tempo não cura nada, ele apenas tira o incurável do centro das atenções."
...Sou velha de nascença. Desde pequena, é nas rodas dos grandes que eu entrava. Conversava mais com os meus avós, do que com gente da minha idade. Aliás, essa juventude de hoje tem me envelhecido demais. Bebem demais, fumam demais, falam demais, brigam demais. Prefiro a companhia aconchegante das pessoas mais velhas.
...Rio de tudo, toda hora, de todo mundo. Dizem por aí que até dormindo eu rio, pode?! Rio de piadas sem graças, em horas impróprias, em casa, sozinha, nas ruas. Sempre acho graça onde não tem!
(...) é que há épocas em que estou lúcida e te odeio muito _ cato o saco de motivos que me deu, e vasculho até lhe desejar o fim.
Mas há outras em que me falha a memória e a saudade me trás você bom, adorável.
Aí amo e amo e amo até me perder na ilusão. Só vou reaver-me dias depois, já de joelhos vasculhando o chão a procura de minha vida.
Preciso tanto arrumar tempo pra aprender a te querer menos, mas ando muito ocupada remendando um coração partido.É tarefa longa, não costuro bem. E longa é a avenida de clichês que se engarrafam no rush da minha cabeça. Amor burro.
Ás vezes, me assolam desejos insanos.

[MAITÊ PROENÇA]
...Eu amo tudo o que foi,
Tudo o que já não é,
A dor que já não me dói,
A antiga e errônea fé,
O ontem que dor deixou,
O que deixou alegria
Só porque foi, e voou
E hoje já é outro dia...

Fernando Pessoa.