'Digo alô ao inimigo, encontro um abrigo no peito do meu traidor...'

24 de jun de 2009

Não me ligue, me abrace...
"Abraço aproxima distâncias, confirma ausências, abraço atrai.
Abraço aconchega, aninha, conforta, conforma.
Abraço é reforma íntima.
É força de expressão em forma de amor universal: podemos qualquer pessoa, em qualquer ocasião.
No aniversário de 1 ano, no enterro, no carnaval.
Na bebedeira, na sobriedade, na tristeza, na alegria, até na raiva, se passar despercebido.
Abraço desconserta, revigora, une.
Abraço forte, abraço leve, abraço de urso e à toa.
Abraço pra quem quer, abraço pra quem pode, abraço pra quem der e vier. "

22 de jun de 2009

É, eu sinto...
Eu admito que pouco falo, mas também admito que eu sinto, e muito. Alguns banalizamoutros escravizam as palavras amorosas. Eu, eu sou uma trapezista. Eu, realmente, estou no meio da linha do Equador, da dor, do sabor, do amor. Onde os olhares ainda são mais valiosos do que os berros soltos meio a multidão. Eu ando na linha
e o vento bate forte no meio peitoe o risco é pura e prazerosa adrenalina...

19 de jun de 2009


"espero o melhor segundo para dar pause,


e só então ando com cuidado entre eles,


às vezes a pausa é tão bonita que cruzo o tempo para vê-la."


"Na minha memória

- tão congestionada

-e no meu coração

- tão cheio de marcas e poços

-você ocupa um dos lugares mais bonitos".

17 de jun de 2009

"Mas difícil é continuar vivendo. Eu continuo. Não sei se gosto, mas tenho uma curiosidade imensa pelo que vai me acontecer, pelas pessoas que vou conhecer, por tudo que vou dizer e fazer e ainda não sei o que será."

[Caio Fernando Abreu]

15 de jun de 2009

"A vida te dá uma rasteira. Você cai, tropeça, o sonho borra a maquiagem, o coração se espalha. Voce sente dor, perde o rumo, perde o senso e promete: Paixão nunca mais. Você sente que nunca irá amar alguém de novo, que amor é conversa de botequim, ilusão de sentido, que só funciona direito pra fazer música, poesia e roteiro de cinema. E voce inventa. Um amor pra distrair. Um amor pra ins-pirar, um amor pra trans-pirar. Uma paixão aqui, um quase-amor ali. Ainda bem que existem os amigos, para amar, abraçar, sorrir, cantar, escrever em recibos e tirar fotos bonitas. E a vida segue. Sua imaginação te preenche, e seus amigos te dão colo, Vodka e dias incriveis!!!"

[ Fernanda Mello ]

14 de jun de 2009



"As coisas e as pessoas que fazem parte da minha vida vão aos poucos entrando em mim,depois de algum tempo já não sei dizer o que é meu e o que é delas. Mesmo assim, bem no fundo, há coisas que são só minhas. E embora me assustem às vezes,é delas que mais gosto..."


[ Caio Fernando Abreu ]

10 de jun de 2009

Só quem já provou a dor
Quem sofreu, se amargurou
Viu a cruz e a vida em tons reais
Quem no certo procurou
Mas no errado se perdeu precisou saber recomeçar
Só quem já perdeu na vida sabe o que é ganhar
Porque encontrou na derrota algum motivo para lutar
E assim viu no outono a primavera
Descobriu que é no conflito que a vida faz crescer
Que o verso tem reverso
Que o direito tem o avesso
Que o de graça tem seu preço
Que a vida tem contrários
E a saudade é um lugar, que só chega quem amou
E o ódio é uma forma tão estranha de amar
Que o perto tem distâncias
E o esquerdo tem direito
Que a resposta tem pergunta
E o problema, a solução
E que o amor começa aqui, no contrário que há em mim
E a sombra só existe quando brilha alguma luz
.Só quem soube duvidar, pôde enfim acreditar
Viu sem ver e amou sem aprisionar
Quem no pouco se encontrou
Aprendeu multiplica
rDescobriu o dom de eternizar
Só quem perdoou na vida, sabe o que é amar
Porque aprendeu que o amor só é amor, se já provou alguma dor
E assim viu grandeza na miséria
Descobriu que é no limite, que o amor pode nascer
.

[ Pe.Fábio de Melo ]

6 de jun de 2009

E a culpa !

A culpa é minha.A culpa é da minha mania de ter esperanças...de achar que ainda há uma forma, uma saída pra tudo isso.Tento não imaginar...é quase impossível. Tento resistir, não dá.Eu devia ter me controlado, ter contido o desejo e a vontade...foi mais forte que eu, sempre é.E a cada vez que volto a te beijar é como se uma chama voltasse a ser acesa...De repente vem aquele balde de água bem fria...você passa por mim e finge que nada houve, comporta-se com a maior naturalidade que se possa ter, me trata como mais uma de tua coleção.Culpa minha não resistir a tua boca, culpa minha não saber controlar-me...culpa minha ir ao teu encontro tão facilmente.O que mais me pertuba é o fato de você ter razão...eu não posso exigir nada te ti, nada!E eu sinto raiva de mim mesma...raiva desses momentos de fraqueza, de atender às emoções tão cegamente.Você não me fez promessas...não fez nenhuma jura. Nós não selamos nenhum pacto.E eu sei que não tenho o direito de te recriminar pelo fato de passares por mim e cumprimentar-me como fazes com as demais pessoas, frio e seco...Não assinamos nenhum contrato.Você continua aí, fingindo normalidades...impondo a si mesmo uma neutralidade impenetrável.E eu continua aqui, tentando copiar tua postura...culpando-me por minhas exageradas emoções, desejando que em algum momento a razão prevaleça...A culpa? a culpa é minha...A fraqueza? a fraqueza também!

1 de jun de 2009


Morrendo e vivendo pelo café...

Tenho sede de café: O gosto amargo que fica na boca, o líquido quente queimando garganta adentro, a insônia causada, o fundo da xícara que não é possível ser enxergado enquanto o café não é tomado até o fim. Mas eu sei que o fim existe, e ainda sim não me importo se estou tomando rápido demais. E eu sinto que o café de daqui a meia-hora não terá o mesmo sabor do de agora, ora fraco ora forte, nunca acerto nos mesmos gostos da sequência. Então você poderia me dizer: Faz bastante de uma vez só e coloca na cafeteira. Meu bem, eu gosto é do puro, do feito-na-hora, do prazer em sentir o novo passando dentro de mim, entendes? E é por isso que essa minha sede não acaba, tem sempre um gosto, do mesmo, diferente pra se sentir.